Sentimos muito mas seu browser não é suportado pela Marsh.com

Para uma melhor experiência, por favor faça o upgrade para um dos seguintes browsers:

X

Pesquisas & Informativos

Pesquisa Executive Opinion 2017 do Fórum Econômico Mundial

 


Empresas identificam os riscos econômicos e sociais como os mais urgentes e os riscos cibernéticos como aqueles ganhando cada vez mais importância de acordo com dados da pesquisa do Fórum Econômico Mundial (WEF), divulgados pelos parceiros estratégicos do Relatório de Riscos Globais do Fórum, Marsh & McLennan Companies e Zurich Insurance Group.

O desemprego, as crises fiscais e o fracasso do governo em garantir estabilidade econômica são os principais problemas que empresas do mundo inteiro enfrentam atualmente, ao mesmo tempo em que os riscos cibernéticos ganham cada vez mais importância, revela recente pesquisa realizada pelo Fórum Econômico Mundial. Estes dados recentes são provenientes da Pesquisa Executive Opinion do WEF, que aporta uma visão única a respeito das condições do mundo dos negócios. O estudo solicitou aos entrevistados que identificassem os cinco maiores riscos para a prática de negócios em seus respectivos países. A pesquisa foi realizada entre fevereiro e junho de 2017 e respondida por 12.411 executivos em 136 países.

Na América Latina, os executivos da região destacaram que devido ao aumento do risco geopolítico, por vezes alimentado por medidas protecionistas, sua principal preocupação é o potencial fracasso da governabilidade de em seus países.

Para Eugenio Pascoal, CEO da Marsh Brasil e Chairman da Marsh & McLennan Companies no Brasil, a pesquisa orienta as lideranças políticas e empresariais em suas decisões estratégicas, uma vez que os indicadores e análises aportam uma visão macro e local não só dos riscos, mas também da alternância destas ameaças num mundo em constante transformação, em todas as esferas, seja ela política, econômica, social e tecnológica.

“São indicadores e dados que reúnem uma inteligência de tendências diferenciada e poderosa para orientar as empresas nas melhores estratégias de gerenciamento dos múltiplos riscos”, ressalta o executivo.