Sentimos muito mas seu browser não é suportado pela Marsh.com

Para uma melhor experiência, por favor faça o upgrade para um dos seguintes browsers:

X

BLOG: RISK IN CONTEXT

Bitcoin, Blockchain e Contratos Inteligentes

Por Sebastián Aguayo 26 Dezembro 2017

Seguramente você deve ter visto em notícias que o bitcoin tem alcançado níveis recordes de valorização – no momento em que escrevi este artigo, sua cotação era cerca de US$ 16,724 por cada bitcoin, enquanto no início de 2017, US$ 1,139.

Mas, o que é bitcoin?

Imagine que a cada bilhete que você tenha em sua carteira tenha uma memória e cada vez que muda de mãos esse bilhete avisa todos os demais bilhetes do mundo que passou da carteira A para a B, e cada bilhete guarda a informação de cada transação de todos os demais – isto quer dizer que quando alguém deseja que um bilhete mude da carteira B para a C, todos os demais bilhetes da cadeia são avisados da movimentação, toda a cadeia valida que a transação aconteceu e em seguida atualizam seus próprios registros.

É como se cada bilhete ou moeda levasse uma cópia do livro contábil de todo o sistema! Além disto, o sistema não tem um banco central ou um servidor único: cada link da cadeia é independente, o que significa que o sistema é completamente descentralizado.

A informação contida dentro de cada bitcoin está protegida por um sistema de operações matemáticas de altíssima complexidade, que para serem resolvidas para gerar a “chave” ou senha levaria mais de mil (até milhões) de anos em um computador de alto rendimento. A ciência que lida com este tipo de matemática é conhecida como criptografia, que inspirou o nome cripto-moeda.

Este sistema foi idealizado por uma pessoa (ou grupo de pessoas) que utilizam o nome de Satoshio Nakamoto e liberaram a todo o público interessado o software em 2009. A data não se sabe ao certo, assim como a identidade dos criadores.

Por que este sistema é atrativo?


Em primeiro lugar, é quase impossível matematicamente falsificar um bitcoin. Em segundo lugar, ao não haver um registro no banco central, não existe o controle do fluxo da mesma. Em terceiro lugar, as carteiras são completamente anônimas – que também podem subtrair os controles de importação / exportação e impostos.

Mas além dos nomes e referências que parecem ficção cientifica ou mesmo do próprio futuro do bitcoin como uma loja de valor (existem tantas outras moedas que competem com isso), o conceito que pode ser revolucionário é o de um livro de registro contábil descentralizado. Este princípio é conhecido como Blockchain e é capaz de mudar a maneira como fazemos muitas transações diárias.

Por exemplo, é possível utilizar este sistema para que ao invés de conter “moedas” contenha contratos, permitindo que haja a criação de documentos inteligentes que “saibam” quando foram assinados por um dos contratantes e para obrigar os demais a assinarem ou ativar ações de avisos. A aceitação geral de contratos inteligentes podem obsoletar outros formatos confiáveis de confiança.

O Blockchain e a transformação da indústria seguradora

Também podemos imaginar a aplicação deste conceito em seguros: um contrato inteligente pode substituir uma apólice de seguro, fazendo com que o pagamento de sinistro não dependa da opinião de uma pessoa e sim da existência de uma série de circunstâncias – automatizando a operação das seguradoras.

Algumas empresas têm criado grupos de trabalho para explorar os riscos e oportunidades do sistema Blockchain em suas próprias esferas, e não é uma questão para um futuro distante – este sistema está mais próximo do que imaginamos de nossa vida e negócios cotidianos.

Da mesma forma que a internet mudou a indústria da informação e comunicação, e possibilitou um fluxo instantâneo de informação em todo o mundo, a tecnologia blockchain tem a capacidade de mudar a indústria de seguros e fazer com que esteja mais alinha com as necessidades do cliente.

Temas relacionados:  Trade Credit , Cyber Risk