Sentimos muito mas seu browser não é suportado pela Marsh.com

Para uma melhor experiência, por favor faça o upgrade para um dos seguintes browsers:

X

BLOG: RISK IN CONTEXT

Riscos Cibernéticos na Indústria de Alimentos & Bebidas

Por Paulo Vitor 26 Julho 2018

A indústria de alimentos e bebidas é uma das mais focadas na utilização de tecnologias de alto nível, unindo automação e robótica para transformar de forma abrangente toda produção industrial.

Um dos pontos importantes da automação é o aumento significativo da produção e do desempenho da fábrica, com ciclos mais velozes, eficientes e precisos. Isto traz ganhos imensuráveis, como a redução de custos e desperdícios e a melhora de qualidade, mas também representa um novo cenário de risco que precisa ser avaliado.

Paradoxalmente, à medida que a automação avança, cresce também a complexidade dos incidentes de segurança cibernética, exigindo medidas de segurança mais sofisticadas e essenciais para proteger as redes industriais. Por exemplo, como um ataque cibernético pode prejudicar uma empresa de Alimentos & Bebidas? Um hacker pode invadir o sistema e alterar a fórmula de um produto ou ainda, dominar o programa de robótica, desconfigurar e parar a produção.

Apesar de parecer um filme de ficção, essas ameaças são parte da realidade dos dias atuais e podem trazer diversos prejuízos aos negócios. Não é à toa que na 13ª edição do Global Risks Report, apresentado no World Economic Forum deste ano, duas tendências foram apontadas como os principais complicadores dessa nova realidade cibernética:

        1.    As novas regulamentações da Europa exigem que as empresas adotem práticas de segurança mais rigorosas para proteger os dados e sistemas.
        2.    Os ataques se tornam cada vez mais destrutivos, ameaçando não somente os ativos digitais, como também danos à propriedade e lesões corporais.

O Global Risks Report revela também que nos próximos cinco anos, os crimes cibernéticos podem causar prejuízos de até US$ 8 trilhões para as empresas no mundo todo – montante equivalente ao PIB somado da Alemanha, França e Reino Unido.

Neste cenário, sem dúvida, o seguro tem um papel fundamental no gerenciamento de riscos cibernéticos. No entanto, as organizações precisam estar cientes de que uma apólice de seguro cibernético é somente uma das diversas ferramentas que formam uma estratégia de gerenciamento de segurança cibernética mais abrangente. O mesmo ocorre com todos os riscos que se apresentam ao negócio. Os executivos precisam encontrar o equilíbrio certo entre os investimentos em segurança e garantir planos de seguro adequados às necessidades exclusivas de sua indústria ou organização.

Como se vê, as ameaças são voláteis e emergentes ao passo que a indústria evolui. As vulnerabilidades devem estar no set list das preocupações das lideranças empresariais para garantir uma boa continuidade dos negócios.