Sentimos muito mas seu browser não é suportado pela Marsh.com

Para uma melhor experiência, por favor faça o upgrade para um dos seguintes browsers:

X

BLOG: RISK IN CONTEXT

Riscos de Acelerar Acima do Limite Permitido: uma Questão de Hábito ou Apenas Negligência?

Por Sandra Beccaro 13 Dezembro 2017

O brasileiro está acelerando cada vez mais, apesar dos inúmeros controles, restrições e programas de conscientização.

Algumas evidências comprovam isso, como o aumento das multas por excesso de velocidade em 150% no 1º Semestre de 2017 e o crescimento no número de mortes em acidentes de trânsito em 27% também neste mesmo período, segundo a Seguradora Líder.

Vários programas de prevenção e conscientização dos motoristas têm sido aplicados no Brasil e em todo o mundo, como a iniciativa da Organização Mundial da Saúde (OMS), por exemplo, que lançou o tema “Reduzir a Velocidade para Salvar Vidas” na 4ª Semana Mundial das Nações Unidas sobre Segurança no Trânsito.

Ações como esta são importantes, pois é necessário haver a conscientização do ser humano, não apenas por parte do motorista, mas também dos pedestres que muitas vezes infringem as leis tanto quanto os condutores.

De fato, algumas intercorrências no nosso dia-a-dia, muitas vezes ligadas à falta de disciplina, nos impedem de respeitar as regras básicas de segurança, e com isso, colocamos vidas em risco.
Conheça um pouco mais sobre as principais posturas e comportamentos, que contribuem para que alguns condutores “acelerem” acima dos limites de velocidade permitidos:

1. Força do hábito. Possivelmente já virou rotina dirigir em alta velocidade. Muitos condutores estão sempre com pressa e, acostumados a acelerar, têm dificuldade de adotar novos hábitos mais conscientes.

2. Falta de planejamento. Atualmente algumas tecnologias, como Waze, nos ajudam a escolher o melhor caminho, então, por que não planejar com antecedência o melhor roteiro e o tempo necessário para efetuar o percurso com tranquilidade?

3. Disciplina com horário.  Dormir 15 minutos a mais pela manhã é ótimo, mas pode implicar em atrasos e em velocidades mais altas – isto se intensifica ainda mais quando se tem uma reunião agendada e a pessoa sente que está atrasada para um compromisso.

4. Excesso de confiança. O motorista deve dirigir por ele, pelos pedestres, e pelos outros condutores.

5. Distração ao volante. Whatsapp ou e-mails podem esperar e a maquiagem também. Qualquer fator de distração impede que o motorista tenha controle preciso do veículo e aumenta a probabilidade de acontecer acidentes

6. Ignorar a capacidade da engenharia de trânsito. Quem nunca se perguntou: “porque aquele radar de 40km/h?”. Saiba que todos os radares e sinalizações são estudados, classificados e implantados de acordo com os riscos do local, por isso devem ser respeitados.

Você sabia que 90% dos acidentes de transito poderiam ser evitados?

90% dos acidentes de trânsito ocorrem por falha humana, ou seja, imprudência e distração. Apenas 10% estão relacionados a fator veicular (manutenção preventiva do veículo) e fator via (condição das vias, sinalização e conservação).

O maior desgaste do veículo e os altos custos de manutenção e combustível são relacionados também ao excesso de velocidade, além da inconveniente pontuação na CNH e multas.

Então, respeitar os limites de velocidade é bom para o seu bolso e para salvar vidas. Ter uma postura prudente e precavida, focando na direção preventiva, ajuda você a reconhecer antecipadamente as situações de perigo e prever situações que podem levar a acidentes que afetam as pessoas que você ama e que estão ao seu redor.

Não troque uma vida por alguns minutos (ou segundos) de pressa. Desacelere!

Temas relacionados:  Automotive