Sentimos muito mas seu browser não é suportado pela Marsh.com

Para uma melhor experiência, por favor faça o upgrade para um dos seguintes browsers:

X

BLOG: RISK IN CONTEXT

Sua Empresa está Preparada para Reagir Perante uma Catástrofe?

Por Henry Zamora 22 Fevereiro 2018

Em 2017 aconteceram diversos eventos que sacudiram o mundo e afetaram consideravelmente as empresas, não somente nos locais onde ocorreram, mas também muito além de suas fronteiras: desastres naturais como furações no Caribe e Estados Unidos, o terremoto no México, o fenômeno “El Niño Costero” no Peru e os ataques cibernéticos como o WannaCry.

Por trás das avaliações de danos causados por estes eventos (estimadas em bilhões de dólares), as perguntas que as empresas devem começar a se fazer são: Estamos preparados para reagir e responder a estes tipos de eventos caso sejamos afetados? Poderíamos reerguer as operações depois de um evento similar? Estamos organizados estrategicamente para a tomada de decisões perante as crises deste tipo?

Para que as empresas possam responder a estas perguntas, é necessário que tenham implementado e interiorizado alguns planos, como Respostas a Emergências, Gestão de Crises, Continuidade de Negócios e, inclusive, Recuperação de Desastres. A seguir explicarei como funcionam estes planos perante aos eventos mencionados.

Plano de Resposta a Emergências: utilizado no momento que o evento acontece, está focado em salvar as pessoas e os ativos da empresa e o meio ambiente. Parte deste plano inclui as brigadas especializadas e os planos de emergência e contingência, os quais a maioria das empresas já possui.

Plano de Gestão de Crises: também é ativado no momento em que o evento está acontecendo, com a diferença que o foco é em nível estratégico para administrar os problemas e implicações do evento ao receber informações dos danos diretos e indiretos recebidos, desde gerar a comunicação aos colaboradores da empresa e aos principais grupos de interesse da empresa, até cuidar da imagem e reputação da companhia e de ações de assistência humanitária. O comitê de Gestão de Crises avalia em primeira instância o impacto que a empresa sofreu e de acordo com ele, ativará o Plano de Continuidade de Negócio, de forma parcial ou total, de acordo com a necessidade.

Plano de Continuidade de Negócios: Tem como principal objetivo a rápida estabilização, restauração e recuperação dos processos críticos para o negócio. Sua ativação se inicia com a aprovação do Comitê de Gestão de Crises. Este plano se encarrega de proteger a renda, finanças e participação de mercado. Para o funcionamento adequado deste plano, é necessário que a empresa tenha identificado previamente os processos, pessoas, recursos e ferramentas críticas para iniciar a recuperação. Se a empresa for dependente de um determinado software ou plataforma digital para as áreas de operação ou suporte, será necessário ativar um Plano de Recuperação de Desastres, que está focado na recuperação e continuidade de serviços de TI.

Para diminuir o impacto dos possíveis eventos e recuperar a empresa de maneira eficiente, será necessário que os planos mencionados estejam integrados na companhia, comunicados a todos os colaboradores para que estejam atentos às decisões do Comitê de Gestão de Crises e que sejam interiorizados pelos responsáveis por reerguer processos críticos.

Temas relacionados:  Marsh Risk Consulting