O desempenho ESG é foco para a indústria de aviação e aeroespacial

O setor de aviação e aeroespacial é cada vez mais desafiado pelas demandas e expectativas dos acionistas, funcionários, clientes e outros stakeholders em relação a questões ambientais, sociais e de governança (ESG).

O setor de aviação e aeroespacial é cada vez mais desafiado pelas demandas e expectativas dos acionistas, funcionários, clientes e outros stakeholders em relação a questões ambientais, sociais e de governança (ESG).

A estratégia ESG é vital

Novos equipamentos e tecnologias, questões geopolíticas, exigências de relatórios e regulamentações estão evoluindo rapidamente em resposta à transição para uma economia global mais sustentável.

Agora é mais crítico do que nunca para uma organização identificar os riscos e oportunidades decorrentes de fatores ESG para proteger sua viabilidade a longo prazo e construir resiliência.

Embora não haja uma lista conclusiva de riscos ESG a serem considerados pelas empresas, eles geralmente incluem uma combinação dos itens a seguir.

Meio Ambiente

Os critérios examinam o impacto de uma organização no planeta, o que para a indústria de aviação e aeroespacial é particularmente relevante.

O foco é colocado nas emissões totais de uma empresa, como uma medida de seu compromisso em lidar com o aquecimento climático. O plano de uma organização para a transição para o uso de baixo carbono, como meio de garantir a segurança energética, também é levado em consideração.

O Greenhouse Gas Protocol Corporate Standard, que classifica as emissões de gases de efeito estufa de uma empresa em três escopos, é uma ferramenta importante para as empresas de aviação usarem no estabelecimento de metas para um caminho de baixo carbono. No setor aeroespacial, o impacto ambiental das atividades de manufatura e materiais é considerado um indicador do desempenho ambiental.

Em todos os setores, há risco de reputação associado à qualidade das políticas ESG, à medida que as empresas são comparadas entre si sobre o quão bem estão lidando com a sustentabilidade.

Social

Os critérios examinam como uma empresa trata e valoriza seus funcionários e a comunidade em geral. As considerações podem incluir:

  • As políticas de gestão de trabalho de uma organização;
  • Seu compromisso com estratégias de inclusão e diversidade como forma de melhorar fundamentalmente o negócio; 
  • Seu compromisso com a segurança e qualidade dos produtos.

O impacto de uma organização na comunidade local, seja positivo ou negativo, geralmente é levado em consideração. Isso pode incluir os custos e benefícios de uma companhia aérea operando em um determinado território.

Na fabricação aeroespacial, a ética da cadeia de suprimentos e o gerenciamento de relacionamento são considerações sociais cada vez mais cruciais, a fim de garantir que padrões trabalhistas justos sejam mantidos e aplicados, desde a coleta de matérias-primas até a fabricação de produtos acabados.

Governança

Os critérios avaliam as práticas de governança corporativa de uma empresa com foco na estrutura do conselho, em particular em sua diversidade, na qualidade da auditoria, na transparência e nas questões relacionadas à remuneração, incluindo a dos executivos.

As principais atividades de governança para empresas incluem o cumprimento das obrigações e estruturas progressivamente rigorosas introduzidas por órgãos reguladores, como a International Air Transport Association (IATA) e a International Civil Aviation Organization (ICAO), a última das quais implementou a fase piloto do Esquema de Compensação e Redução de Carbono para a Aviação Internacional (CORSIA).

É importante observar que o legado ambiental - o impacto duradouro das ações e atividades de uma organização na Terra - é uma consideração fundamental de governança.

Teste de estresse de ESG e mudanças climáticas

As empresas da indústria de aviação e aeroespacial diferem atualmente em sua preparação para as mudanças climáticas e a transição para uma economia mundial sustentável.

Em uma recente pesquisa da Marsh, 60% dos entrevistados no setor reconheceram as mudanças climáticas e os fatores ESG como impactantes para clientes e consumidores, que são essenciais para seus negócios.

No entanto, metade das empresas questionadas tinha uma medição um tanto limitada das mudanças climáticas atuais e riscos ESG, enquanto a outra metade disse que não estava testando, de forma alguma, as ameaças.

Esta pesquisa destaca a necessidade de o setor estar melhor preparado para a transição para uma economia mais sustentável, em que a agilidade organizacional para responder às novas leis, demandas e expectativas dos clientes é fundamental.

Conclusão

Os planos definidos hoje são vitais para a sustentabilidade e resiliência a longo prazo do setor de aviação e aeroespacial.

As principais ações a serem tomadas incluem:

  • Avaliar as implicações do ESG para a sua organização, utilizando dados do setor, índices de risco, modelos físicos de clima e as perspectivas dos stakeholders;
  • Analisar e estabelecer os meios para controlar os riscos físicos, de transição e de reputação associados ao ESG para sua organização;
  • Analisar a necessidade de relatórios externos.

Agir de acordo com as ações acima mencionadas apoiará a implementação de prioridades ESG de acordo com o apetite de risco de uma organização e produzirá práticas dentro das estruturas existentes de gestão de recursos ambientais e resiliência. 

Se você tiver dúvidas sobre seu risco ESG e mudanças climáticas, entre em contato com seu consultor da Marsh.

Conteúdo relacionado