Garantia

O mercado competitivo de hoje exige certeza das promessas contratuais, foco constante na redução de custos e aumento do capital de giro. Nossos especialistas fornecem serviços inovadores de consultoria de seguro-fiança às organizações, para apoiar seus objetivos de crescimento e resiliência de negócios.

Para administrar um negócio, as empresas precisam de garantias para contratos e outras obrigações financeiras. As garantias de seguro-fiança, assim como as soluções de frente bancária, oferecem a vantagem de liberar dinheiro ou preservar a capacidade bancária, e podem resultar em economias de custos materiais em comparação com as cartas bancárias de crédito.

A equipe dedicada de especialistas em seguro-fiança global da Marsh ajuda as empresas a implementar estratégias e soluções para liberar capacidade de crédito e reduzir riscos financeiros.

Aproveitamos nossa expertise e experiência no setor para desenvolver soluções exclusivas de seguro-fiança em diferentes setores e regiões. Também apoiamos o crescimento rentável da sua empresa, indo além do seu balanço patrimonial para explorar soluções personalizadas com base nos seus ativos subjacentes.

Our expertise

Perguntas Frequentes

Títulos de seguro-fiança são garantias emitidas por uma seguradora em nome de uma empresa a favor de um beneficiário. Eles são usados para garantir a conclusão de um projeto ou o fornecimento de um bem ou serviço.

Os beneficiários mais comuns dos títulos de seguro-fiança são entidades governamentais, por exemplo, em relação a um projeto rodoviário financiado por um governo, usando fundos do contribuinte. Essas entidades também podem incluir autoridades fiscais, aduaneiras, tribunais e agências de proteção ambiental.

No setor privado, um beneficiário é a parte que atua como empregador, proprietário do projeto ou comprador de projetos de construção ou produtos fabricados.

Os títulos de seguro-fiança também podem ser usados como uma garantia de pagamento (permissível), e são de natureza regulatória ou comercial/contratual.

Os que são de natureza regulatória incluem:

  • Obrigações exigidas pelo governo com relação a um projeto de construção, ou seja, estradas, aeroportos, portos ou ferrovias.
  • Obrigações exigidas dos importadores em favor de uma autoridade aduaneira para garantir o pagamento de impostos e direitos.
  • Obrigações exigidas para o cuidado adequado das terras públicas ao extrair ou explorar recursos naturais.
  • Títulos de pagamento vinculados a disputas legais com um governo sobre uma avaliação fiscal.
  • Títulos de litígio que cobrem o recurso de multas, penalidades ou danos resultantes de disputas legais por concorrência desleal no mercado.

Títulos não regulatórios são emitidos como garantia de contrato ou pagamento para dar suporte a obrigações contratuais ou de pagamento. O seguro-fiança atua como uma garantia de terceiros.

O seguro-fiança é o equivalente do setor de seguros a uma garantia bancária (ou seja, carta de crédito). No entanto, o seguro-fiança pode ajudar a gerar liquidez adicional para bancos e corporações – e para o mercado em geral. Ele desempenha um papel importante com o alívio do capital e a preservação de recursos valiosos de liquidez, especialmente durante tempos econômicos voláteis.

O seguro-fiança permite que uma empresa participe de contratos que exigem garantia contingente de terceiros. Ele também ajuda a melhorar a posição de liquidez de uma empresa, uma vez que as obrigações de seguro-fiança se encontram fora do balanço e, portanto, não usam facilidades de empréstimo. O seguro-fiança melhora ainda mais as posições de liquidez, pois títulos podem ser lançados em vez de pagamentos de capital.

Muitas empresas utilizam seguro-fiança. Por exemplo:

  • Construção
  • Energia e eletricidade
  • Alimentos e bebidas
  • Varejo
  • Manufatura
  • Comunicação, mídia e tecnologia
  • Instituições financeiras
  • Mineração