Construção

A indústria da construção caracteriza-se por múltiplas variáveis de risco que têm impacto na segurança, cronologia, conclusão e rentabilidade. A equipa de especialistas da indústria da construção da Marsh, com um alinhamento global, pode trabalhar consigo de forma a criar soluções personalizadas de risco e de seguros.

A construção é uma indústria essencial para a economia global, sendo que a atividade neste setor é constante. Existirá sempre a necessidade de renovação e criação de novas infraestruturas. No entanto, uma vez que o ciclo de construção é, frequentemente, impulsionado por fatores socioeconómicos, a indústria pode revelar-se bastante volátil. As empresas de construção precisam ter uma grande consciência das questões de risco atuais e emergentes e serem capazes de responder rapidamente às circunstâncias em constante mudança.

Os fatores de digitalização, ambientais, sociais e de governança (ESG), incluindo os riscos climáticos, custos crescentes da construção e obstruções da cadeia de fornecimento, são alguns dos desafios atuais que moldam os perfis de risco das empresas de construção. A compreensão do impacto destes desafios permite a criação de uma estrutura ponderada de gestão de riscos que equilibra as necessidades de retenção, gestão e transferência de uma organização.

A equipa global integrada da Marsh, que conta com mais de 1200 especialistas da indústria da construção, ajuda os clientes a concretizar projetos de construção em todas as regiões do mundo. Durante mais de 30 anos, apoiámos as empresas através de uma avaliação precisa dos riscos, da minimização da incerteza e da adoção da segurança como um fator potenciador do negócio.

Trabalharemos em conjunto consigo para criarmos estratégias de risco e de seguros de construção exclusivas para as pressões que enfrenta. Podemos ajudá-lo a conceber e a implementar programas que se alinhem com os seus objetivos estratégicos, otimizar o seu capital e proteger o seu negócio atual e futuro.

Perguntas frequentes globais

Os riscos da indústria da construção enquadram-se, normalmente, nas seguintes categorias:

  • Danos físicos: eventos meteorológicos extremos, incêndios, explosões, vandalismo e roubos.
  • Riscos de terceiros: lesões e danos materiais de terceiros, impacto ambiental.
  • Projeto: erros, atrasos, pedidos súbitos de alterações de partes interessadas.
  • Fatores externos: regulamentos, leis fiscais, variáveis macroeconómicas, opinião pública negativa.
  • Conformidade: licenças caducadas, documentos incorretamente submetidos ou incompletos enviados às autoridades locais.
  • Gestão do projeto e questões organizacionais: inexperiência da mão-de-obra, problemas com a cadeia de fornecimento, riscos de segurança, conflitos de planeamento, atrasos, custos excessivos.
  • Obrigações contratuais: não cumprimento do nível de qualidade esperado, utilização de materiais inadequados.

A identificação, alocação e gestão dos riscos deve começar a partir do esboço inicial do projeto com uma análise dos fatores concorrentes que determinam a viabilidade comercial do projeto. Normalmente, a alocação dos riscos ocorre entre as partes interessadas do projeto com base em quem se encontra mais bem posicionado para suportar e gerir um determinado risco. A potencial dimensão, o impacto financeiro e a frequência das perdas irão desempenhar um papel na priorização. Os riscos que não podem ser geridos serão contabilizados nos termos finais de qualquer contrato.

A demonstração de uma identificação e gestão de riscos do projeto robustas requer um elevado grau de análise e planeamento com todas as partes interessadas do projeto informadas e envolvidas no processo. Normalmente, são utilizados procedimentos claramente documentados, protocolos de segurança e registos de risco para captar e detalhar a forma como o risco será gerido.

Trabalhar em colaboração com os especialistas de gestão de riscos da Marsh pode ajudá-lo a encontrar o seguro certo e os métodos de proteção adequados para a mitigação dos riscos do seu projeto.

Embora já possa ter apólices abrangentes para as várias preocupações relacionadas com a propriedade e responsabilidade, normalmente estas não se aplicam a projetos de construção pendentes, independentemente do design e/ou fase da construção. Independentemente do seu interesse financeiro num projeto de construção, seja como investidor individual ou em nome da sua organização, irá necessitar de, pelo menos, algum tipo de cobertura de seguro de construção (também conhecido como seguro de risco do construtor).

A proteção do seguro é necessária para riscos de danos físicos e lesões e normalmente será um requisito de um contrato de construção fundamental.

Para além destes riscos, os intervenientes financeiros também podem exigir uma proteção contra perdas financeiras caso os eventos de perdas passíveis de indemnização possam dar origem a atrasos consideráveis nos projetos. Esta cobertura foi concebida para oferecer proteção contra a perda de receitas antecipadas de projetos que se encontram atrasados em relação à passagem para a fase operacional, ou dos custos de manutenção da dívida contraída em relação à construção que, de outra forma, seriam suportados pelas receitas operacionais.

Vários outros tipos de cobertura de seguros podem também proporcionar proteção contra riscos associados ao trânsito, poluição, conceção e várias outras atividades identificadas relacionadas com o projeto.