Infraestruturas

O sucesso dos empreendimentos que desenvolvem e mantêm infraestruturas depende da preservação dos valores dos ativos, reduzindo riscos e utilizando o capital eficazmente.

O desenvolvimento de infraestruturas é uma das grandes potências da economia global atual, com centenas de milhares de milhões de dólares a serem gastos todos os anos em termos de reparação, substituição e criação de novas capacidades para os setores de transportes, energia, serviços públicos, portos e terminais e infraestruturas sociais. Os governos procuram o setor privado para os ajudar a financiar projetos, enquanto que outros participantes do setor, como programadores, empreiteiros, bancos, empresas de contabilidade e de advocacia, consultores, entre outros, desempenham papéis importantes no ciclo de vida das infraestruturas.

As partes interessadas nos projetos de infraestruturas podem ter diferentes motivações. E os seus desafios e perfis de risco alteram-se ao longo do ciclo de vida de um projeto, desde as fases de negociação até às fases de pré-construção, construção, fases operacionais e de gestão contínua.

Com mais de 25 anos de experiência especializada, a nossa equipa está apta a apoiar as suas decisões de risco e de seguros. Os nossos especialistas compreendem as tolerâncias de risco divergentes do setor público, os investidores de capital, os credores e o setor da construção.

Durante o financiamento, fornecemos estratégias e soluções que reduzem a volatilidade das iniciativas de infraestruturas e tornamos os projetos financiáveis. Através de planeamento, conceção, construção e operações, fornecemos informações e estratégias eficazes de mitigação de riscos, bem como estratégias de gestão de ativos que abordam os riscos em constante mudança ao longo das fases dos projetos.

A nossa equipa global consegue ajudar a preservar o valor final do ativo, reduzir a volatilidade do fluxo de receitas e ajudar a gerir os riscos inerentes para que possa voltar a aplicar o seu capital de uma forma eficaz.

Perguntas frequentes

Qualquer empresa ou entidade que invista ativamente num projeto de infraestruturas, bem como todos os principais participantes do projeto, devem considerar a obtenção de um seguro de forma a proteger adequadamente os seus interesses e a gerir os riscos ao longo do ciclo de vida do projeto. O tamanho e o tipo de projeto podem limitar a capacidade de cumprir os requisitos contratuais do seguro. Desta forma, é importante contratar antecipadamente um seguro e um consultor de riscos de forma a ajudá-lo a negociar estes requisitos e a personalizar as soluções de seguro que possam minimizar o impacto potencial dos riscos inerentes ao projeto.

Além disso, as estratégias de mitigação de riscos ao longo de cada fase do ciclo de vida do projeto fornecem um apoio essencial na identificação e gestão de potenciais problemas para todas as partes interessadas. O risco surge durante as fases de planeamento e conceção e prolonga-se até às fases da construção física e da implementação da infraestrutura, daí ser importante disponibilizar uma rede de segurança para garantir uma conclusão de projeto simples e sem problemas.

Normalmente, este tipo de seguro protege as partes interessadas do projeto dos riscos associados aos pontos problemáticos mais comuns do desenvolvimento da infraestrutura. 

Invariavelmente, existe uma responsabilidade civil perante terceiros uma vez que, pela sua própria natureza, a maior parte dos projetos de infraestruturas estará exposta ao público. Além disso, o seguro cobre normalmente aspetos de risco associados à perda física de um projeto, seja devido a desastres naturais como inundações ou tempestades de vento, ou resultante de danos causados por empreiteiros ou cidadãos comuns. 

No que diz respeito ao desenvolvimento das infraestruturas com financiamento privado, a cobertura de seguros também seria alargada de forma a oferecer cobertura de risco financeiro devido a fatores como o atraso na conclusão de um projeto (resultante de danos físicos) ou a erros e omissões resultantes de serviços profissionais relacionados com a conceção. 

Foram desenvolvidas soluções de seguros inovadoras de forma a oferecer cobertura perante uma vasta gama de riscos, desde a chuva à variação da temperatura (seguro de condições climatéricas) ao seguro em caso de incumprimento por parte do subcontratante. Uma vez que existe muita variação na alocação do risco para um determinado projeto, é importante consultar um consultor de risco, como a Marsh, para que possamos gerir as suas exposições ao risco.

Embora imensamente valiosos para a sociedade a longo prazo, os grandes projetos de infraestruturas têm uma longa reputação de se tornarem problemáticos. Os atrasos devido a acontecimentos imprevistos, como as questões relacionadas com a cadeia de fornecimento, os períodos de tempo alargados com condições meteorológicas adversas, as disputas laborais e as divergências entre as partes interessadas relacionadas com decisões importantes do projeto podem acabar por custar muito dinheiro aos contribuintes e aos investidores privados. 

Embora alguns desses riscos não possam ser abordados antecipadamente, tais como as discordâncias entre as partes interessadas, existem outros riscos que podem, de alguma forma, ser atenuados através do planeamento da gestão de riscos. Os consultores de gestão de riscos podem ajudar as empresas de infraestruturas a definirem estratégias antecipadamente, de forma a protegerem-se de problemas comuns, fornecendo ainda apoio em termos de crédito e recuperação, caso surjam esses problemas.