Sentimos muito mas seu browser não é suportado pela Marsh.com

Para uma melhor experiência, por favor faça o upgrade para um dos seguintes browsers:

X

Pesquisas & Informativos

Riscos Emergentes no Agronegócio

 


A complexidade não está somente na identificação, mas também na intersecção dos riscos com outros fatores, que potencializam a sua extensão e fazem da tarefa da estruturação de programas de seguros, gerenciamento de riscos e regulação de sinistros um exercício sofisticado e imprescindível.

Da variação do tempo à flutuação de preços, o maior desafio do agronegócio é a incerteza,  que demanda uma sofisticada estruturação de programas de seguros, gerenciamento de riscos e regulação de sinistros. Isto acontece porque as atividades do setor estão, por vezes, mais expostas a uma gama extensa e complexa de fatores que podem impactar os negócios.

No Brasil, por exemplo, as perdas no agronegócio são de até R$ 55 bilhões ao ano, em decorrência do ataque de moscas, lagartas e outras doenças que afetam as plantações, de acordo com um relatório da Sociedade Brasileira de Defesa Agropecuária (SBDA). O mesmo documento estima que os prejuízos em escala global são da ordem de US$ 1,4 trilhão, ou quase 5% do PIB mundial.

Além disso, outros riscos, como aqueles decorrentes das limitações portuárias em determinadas regiões do Brasil, geram perdas anuais da ordem de US$ 4 bilhões em  transporte, conforme estudo publicado pela Câmara de Infraestrutura e Logística do Ministério da Agricultura.

Como exemplo de impacto climático, é possível citar o prejuízo de R$ 1 bilhão causado pelo fenômeno El Niño, que inverte o fluxo de chuvas e calor na região, na safra 2015/2016 do Mato Grosso (dados do Governo Estadual), um dos principais polos produtores de grãos do país.

A 11ª edição do Global Risks Report trouxe para o centro das discussões os efeitos correlacionados das alterações climáticas na indústria do agronegócio, como a escassez de água, pragas, doenças e contaminação, com outros riscos que estão afetando o setor, como a volatilidade das commodities, dependência internacional, logística e distribuição.

Excesso e falta de chuva, calor excessivo, baixas temperaturas e falta de sua variação  são intempéries que podem afetar toda a cadeia de valor do agronegócio. Não só as alterações climáticas podem impactar negativamente a indústria de agronegócio, como também os rigorosos controles ambientais, para as companhias que tem em suas atividades o manejo de substâncias químicas, resíduos ou armazenamento de cargas perigosas. Por isso, as empresas ligadas ao agronegócio estão expostas a grandes perdas ambientais.

A Marsh, na condição de líder em consultoria de risco e programas de seguros e resseguros, oferece soluções específicas para todas as partes envolvidas na cadeia de fornecimento agrícola. Além da colocação de seguros, é capaz de fornecer serviços de consultoria que incluem a identificação, avaliação e tratamento de um conjunto abrangente de riscos, por exemplo, propriedade, produtos e ambiental.

Com as constantes mudanças na indústria, surgem novos riscos que precisam ser identificados, quantificados, gerenciados e transferidos. A complexidade não está somente na identificação, mas também na intersecção dos riscos com outros fatores, potencializando a sua extensão e fazendo da tarefa da estruturação de programas de seguros, gerenciamento de riscos e regulação de sinistros, um exercício sofisticado e imprescindível. Vital para mitigar perdas e ancorar as lideranças empresariais nas respostas efetivas e estratégicas para suas decisões.

Informações adicionais dos indicadores citados no artigo.