Skip to main content

Mercer Marsh Benefícios

Alinhe sua estratégia de benefícios com as necessidades variáveis de seus funcionários

Nossa pesquisa MMB Health Trends 2024 destaca três ações que os profissionais podem tomar para melhorar seu desempenho e atingir seus objetivos.

Multiracial business people working on sustainable innovation project - Focus on left man face

Com as tendências médicas globais que continuam superando a inflação geral, uma crise do custo de vida e as incertezas da economia global, é fundamental que as empresas garantam que suas estratégias de benefícios estejam alinhadas com as suas próprias necessidades e as de seus funcionários.

A pandemia da COVID-19 demonstrou aos empregadores que o sucesso de um negócio depende da saúde e do bem-estar de sua força de trabalho, por isso os programas de benefícios estão recebendo cada vez mais atenção por parte da alta liderança. Embora esta ênfase renovada é uma boa notícia para os funcionários, as equipes de recursos humanos e benefícios devem estar focados em garantir que os planos ofereçam o valor correspondente ao dinheiro investido , dando suporte aos objetivos comerciais mais amplos. 

Nossa pesquisa MMB Health Trends 2024 destaca três atitudes que os profissionais de benefícios podem assumir para melhorar seu desempenho e alcançar seus objetivos:

1. Desempenhar um papel mais ativo na gestão de seus benefícios: Os aumentos nos custos médicos por pessoa continuam superando a inflação; apesar disso, 57% das seguradoras esperam que os empregadores realizem melhorias nos planos que vão precisar de um monitoramento intencional.

2. Desenvolver uma estratégia de benefícios a longo prazo: Detalhar as mudanças nos benefícios ao longo do tempo pode ajudar a preparar as partes interessadas e antecipar-se aos aumentos de custos.

3. Entregar uma mensagem consistente e clara sobre sua estratégia pode ajudar a garantir o sucesso.

Três conselhos para elevar os benefícios ao seguinte nível

O ambiente atual é desafiador para os empregadores, mas os gerentes de benefícios têm grandes oportunidades para antecipar-se aos acontecimentos
slected option

Quase metade (48%) das seguradoras afirma que o acesso aos sistemas de saúde pública tem piorado desde a pandemia. Isso poderia indicar aos empregadores que mais funcionários recorrerão a eles para fechar essas brechas existentes nos sistemas de saúde em todo o mundo.

Os empregadores devem estar preparados para tomar decisões financeiras e de desenho de planos. É importante que as empresas não apenas monitorem essas mudanças, mas que também considerem a possibilidade de "pressionar suas seguradoras" para que adotem abordagens mais integrais e progressistas, como direcionar as pessoas a uma assistência de saúde de melhor qualidade.

Fechar essas brechas podem gerar impactos nos custos, portanto, compreender os fatores que promovem os custos dos sinistros será fundamental para contê-los a longo prazo. Nossa pesquisa indica que o aumento dos gastos médicos se deve não apenas à inflação médica, mas também às mudanças na utilização (por exemplo, mais reclamações) e mudanças na combinação de tratamentos (por exemplo, avanços no atendimento digital).

Apesar dessas tendências, as seguradoras se mostram relutantes em realizar mudanças nos desenhos do plano padrão em todos os seus negócios. Os empregadores devem desempenhar um papel ativo em pressionar as seguradoras para que considerem abordar essas brechas criadas pelas mudanças governamentais, e ao fazê-lo, também devem monitorar a experiência do plano, incluindo as reclamações de alto custo, para limitar as possibilidades de surpresas no momento de calcular. Ao direcionar-se aos promovedores de custos de um plano, abordar as brechas e implementar políticas que deem suporte à prevenção e à gestão de doenças, os empregadores podem ajudar a mitigar o risco de reclamações a longo prazo.

Ao abordar as brechas, outra área de interesse para os empregadores deve ser garantir que os benefícios sejam equitativos. A inflação e a crise de custo de vida têm exercido pressão sobre o custo dos programas de benefícios, tanto para os empregadores como para os funcionários. Os elementos de desenho, como os sublimites de gastos e os máximos anuais/vitalícios, podem transferir involuntariamente os custos aos funcionários, fazendo com que a assistência seja inacessível. Os empregadores deverão revisar constantemente as áreas de participação nos gastos para garantir que se ofereça ajuda aos funcionários que mais necessitam.

Nossa pesquisa sobre Risco de Pessoas em 2022 mostrou que os riscos administrativos e fiduciários subiram para a segunda posição entre os 25 riscos de pessoas globalmente, colocando não apenas os benefícios segurados, mas também a aposentadoria, a remuneração executiva e os fundos de investimento sob maior investigação.

À medida que os benefícios aumentam em importância estratégica e a alta liderança se envolve mais no planejamento, entrega e financiamento dos planos, esperamos uma maior necessidade de gestores de planos de benefícios para criar estratégias plurianuais bem articuladas, alinhadas aos objetivos de negócio.

O primeiro passo para um empregador é focar no desenvolvimento de um modelo de governança claro para seus planos de benefícios. Isso inclui desenvolver uma filosofia de benefícios, articulada por meio de uma lista de princípios orientadores e objetivos que ajudam a informar as decisões de design dos benefícios. Esse trabalho estabelece a estrutura necessária para executar as mudanças no plano necessárias em resposta a iniciativas de negócios, como inclusão, questões ambientais, sociais e de governança (ESG) ou mudanças na legislação.

Preparar-se para essas mudanças nos planos de benefícios é fundamental para o sucesso. Focar em mudanças incrementais a cada ano cria espaço para ajustes e feedback conforme necessário para alcançar os objetivos. Isso ajuda as partes interessadas - incluindo funcionários, sindicatos, gestão, provedores e investidores - a entender para onde você está indo e se envolver no processo.

Mudanças incrementais também apoiam o controle de custos, permitindo que o foco seja na melhoria do valor em vez de cortar benefícios. Ir além do próximo ciclo de renovação enquanto planeja mudanças de longo prazo pode ajudar os profissionais de benefícios a equilibrar a economia com a empatia.

O envolvimento precoce é a base para o redesenho bem-sucedido do plano de benefícios.

À medida que os custos aumentam, é provável que os orçamentos sejam submetidos a uma maior análise. Garantir que os principais interessados tenham uma compreensão sólida do que você deseja realizar ajudará a envolvê-los e a obter seu apoio. Eles precisam ouvir as mesmas mensagens repetidamente e de forma consistente, vinculando essas mensagens a objetivos mais amplos do negócio.

Considere estabelecer um comitê de direção estratégica de benefícios para fornecer transparência e lidar com quaisquer desafios. Idealmente, esse comitê seria multidisciplinar, reunindo áreas como saúde e segurança, gerenciamento de riscos e finanças. Além disso, incluir funções mais amplas, como aquisição de talentos, ESG e DEI, pode envolver um público mais amplo na discussão. Certifique-se de que os sindicatos e os conselhos de trabalho tenham a oportunidade de se envolver no que é importante para os funcionários. Eles precisam entender e compartilhar informações sobre quaisquer desafios para manter os planos sustentáveis.

Focar nas comunicações com os funcionários é crucial. Essas comunicações devem destacar que os benefícios fazem parte de uma responsabilidade mútua para promover a saúde pessoal. Nossa pesquisa sobre Tendências Globais de Talentos mostra que um em cada três funcionários abriria mão de um aumento salarial por benefícios adicionais de bem-estar. Criar uma cultura de saúde por meio de estratégias de marcação de benefícios e influenciadores pode beneficiar sua empresa e seus funcionários.

Administrar ativamente sua estratégia de benefícios para funcionários

Os empregadores enfrentam um contexto desafiador, com necessidades conflitantes que transpassam os limites da prática habitual em matéria de benefícios. Os empregadores devem encontrar um equilíbrio entre economia e empatia na hora de revisar o desenho do plano, levando em consideração as dificuldades que sofrem a maioria dos funcionários diante da inflação. Por outro lado, os empregadores deverão reconhecer que muitas economias ainda não superaram completamente a possibilidade de uma recessão.

Os profissionais de benefícios podem se manter focados ao administrar ativamente seus planos, planejar as mudanças necessárias a longo prazo e envolver todas as partes interessadas. Essas ações são fundamentais para seu sucesso!

Conheça as autoras:

Global Research and Solutions
Mercer Marsh Benefits

Stephanie Brunermer

Global Research and Solutions, MMB

Global Benefits Management
Mercer Marsh Benefits

Laura Holstine

Global Benefits Management, MMB

Artigos Relacionados